Barroco em Portugal

Barroco em Portugal

Portugal: a prosa do padre Antônio Vieira

A prosa barroca está representada, em primeiro lugar, pela oratória religiosa dos jesuítas. O nome central é o do Padre Antônio Vieira, o maior orador sacro da Língua. Existe um Vieira brasileiro, um Vieira português e um Vieira europeu, o que confere à sua obra riqueza de dimensões e certos traços de gênio.

Português de nascimento (1608), veio para o Brasil aos sete anos, viveu na Bahia e ali morreu em 1697, após ter feito várias viagens a Portugal. Preocupou-se com as questões de seu tempo: a exploração dos índios pelos colonos portugueses, a invasão holandesa no Brasil, o drama dos escravos, a questão dos cristãos-novos etc. Pregava a tolerância religiosa e, por isso, indispôs-se com a Inquisição.

Seus sermões caracterizam-se por forte influência conceptista e neles se podem observar as seguintes características:

  • cuidadosa organização de raciocínio;
  • argumentação sutil, bem construída: silogismos, paradoxos, associações lógicas;
  • linguagem simples, sintaxe erudita, lusitana;
  • método parenético: combate a possíveis oposições a seus argumentos;
  • citações bíblicas e relacionamento delas com fatos do cotidiano.

Entre os principais sermões que deixou, estão:

  • Sermão da Sexagésima ou Sermão da Palavra de Deus
  • Sermão da Primeira Dominga da Quaresma
  • Sermão de Santo Antônio aos Peixes
  • Sermão do Rosário
  • Sermão pelo Bonsucesso das Armas de Portugal contra as de Holanda